Email Caatinga via RSS Caatinga no Twitter Caatinga no Facebook

caatinga-ong-cabras

14/10/2013

Agricultoras e agricultores experimentadores celebram abertura do Encontro Estadual

publicado por

Por Lidiane Santos* e Mariana Landim**

Teve início na tarde de ontem (13) e segue até amanhã (15), o Encontro Estadual de Agricultoras e Agricultores Experimentadores da Articulação no Semiárido Pernambucano (ASA-PE). A abertura aconteceu na Câmara Municipal de Vereadores de Afogados da Ingazeira, Sertão do Pajeú do estado. Além de agricultores/as de todo Semiárido pernambucano, estiveram presentes representantes das organizações que integram a ASA-PE e o prefeito do município, José Patriota.

No primeiro momento, o coordenador executivo da ASA-PE, Manoel dos Anjos deu as boas-vindas aos participantes. “Um dos objetivos deste é fomentar o debate sobre a questão das sementes no estado, a preservação do patrimônio genético, assim como discutir as perspectivas da ASA na linha de projetos na área de sementes. Aproveitem para partilhar os sentimentos sobre o período de estiagem que estamos enfrentando, as aprendizagens e as experiências dos/as agricultores/as familiares”, destacou.
Em seguida, foi feita uma mística de apresentação por território, onde foram mostrados os símbolos característicos das regiões. A mesa de abertura foi composta pelos agricultores Lucinaldo Vieira e Francisca Almeida, e também pelo representante da Diaconia, Afonso Cavalcanti.

De acordo com Lucinaldo, que é também facilitador dos cursos de formação da ASA, a seca nos últimos tempos ensinou às famílias agricultoras estratégias eficazes de convivência com o Semiárido. Apesar das dificuldades encontradas, a criação de animais de pequeno e médio porte, por exemplo, é completamente possível, já que o consumo de água é reduzido. Dona Francisca detalhou as ações que contribuem com uma convivência harmoniosa com o campo, o consumo consciente e o reaproveitamento da água, como importantes técnicas para a agricultura familiar. “Nós não perdemos nem a água que sobra da lavagem de roupas, reaproveitamos tudo”, pontuou a agricultora.

Ainda durante a tarde, Afonso Cavalcanti apresentou o painel Convivência com os períodos de estiagem na visão de agricultores/as e organizações de assessoria. Na ocasião, ele mostrou recortes de ações que podem ser desenvolvidas nas comunidades rurais, como forma resistir aos efeitos da seca no Semiárido pernambucano.

Durante o debate, os/as agricultores/as tiveram a oportunidade de expor suas experiências a partir do acesso à água, irrigação por gotejamento para garantir os cultivos e criação de bancos de sementes.

*Comunicadora da Cáritas Regional NE 2
**Assessora de Comunicação da ASA-PE