Email Caatinga via RSS Caatinga no Twitter Caatinga no Facebook

caatinga-ong-mudas

31/03/2014

Artigo: Tendências da agricultura mundial e brasileira e Desafios para 2050

publicado por

Por Jean Marc – Membro da AS-PTA do CONDRAF e da CNAPO

Foto: Vládia Lima

Foto: Vládia Lima

 

A demanda global de alimentos deve crescer 70% até meados do século devido ao crescimento da população para 10 bilhões de habitantes e ao desejável e esperado aumento do consumo dos cerca de um bilhão de famintos hoje existentes. A ONU prevê que, por esta data, a população mundial deverá estabilizar-se e deixar de pressionar a capacidade produtiva de alimentos do planeta. Por outro lado, a tendência dominante na mudança do perfil de consumo alimentar mundial aponta para o agravamento das manifestações de subnutrição específica (carências de vitaminas e sais minerais) que hoje afetam dois bilhões de pessoas e de sobrepeso e obesidade, que hoje afetam outro (às vezes os mesmos) bilhão.

No Brasil, apesar dos sucessos dos programas dos governos FHC, Lula e Dilma, ainda existem perto de 12 milhões de famintos, mas não se sabe a incidência dos casos de subnutrição específica e a porcentagem das pessoas com sobrepeso ultrapassa os 50%, com 15% de obesos.

O desafio, no mundo e no Brasil é a garantia de uma produção suficiente e diversificada para permitir uma mudança no perfil de consumo para que seja adotada uma dieta alimentar adequada. Será necessário educar a população para consumir mais frutas, legumes e hortaliças e assegurar a oferta destes alimentos na escala e preços adequados. Será necessário, até como política de saúde pública, reduzir o consumo de carnes vermelhas e produtos industrializados, de açúcar e de sal. Estas mudanças vão à contracorrente do modelo de consumo que vem se generalizando no mundo e no Brasil, marcado pela dieta do “fast food”, centrada no trigo e na carne de gado.

Acesse [Artigo completo]