Email Caatinga via RSS Caatinga no Twitter Caatinga no Facebook

caatinga-ong-cabras

27/11/2013

Audiência Popular do Semiárido reúne representantes do governo federal e movimentos sociais

publicado por

Por Comunicação Irpaa

Foto Ascom Irpaa

Teve início na manhã desta quarta-feira (27), na sede da Codevasf, em Juazeiro (BA), a Audiência Popular do Semiárido com participação de representantes de diversos estados do Nordeste que integram o Movimento de Pequenos Agricultores – MPA, Movimento dos Trabalhadores Sem Terra – MST, Movimento de Atingidos por Barragens – MAB, Comunidades de Fundo e Fecho de Pasto, Articulação do Semiárido – ASA, movimentos urbanos, ONGs, sindicatos, pastorais, entre outros.

Atendendo uma reivindicação dos movimentos, estiveram presentes o Secretario Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, Secretário Nacional de Irrigação, Ivan Lacerda, o Presidente da Codevasf, Elmo Vaz, a Vice presidente do Incra, Érica Borges, além de representantes do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Câmera dos Deputados da Bahia, Prefeitos e vereadores.

Fazendo memória da Jornada Nacional de Lutas, a Dirigente Nacional do MPA, Maria Kazé, deu início às falas lembrando que esta audiência é resultado de intervenções dos movimentos sociais durante a Jornada Nacional de Lutas, realizada em outubro deste ano, momento que contou com ocupação de Unidade da Multinacional Monsanto, em Petrolina (PE), e da sede da Codevasf, em Juazeiro (BA).

Na abertura foram apresentadas as quatro pautas centrais desta audiência: a criação de política específica para o Semiárido, Reforma Agrária, Estruturação das comunidades Camponesas e Soberania Alimentar na construção de um Programa Nacional de Conservação e uso da biodiversidade, considerando a particularidade da região semiárida. Nesse sentido, os movimentos camponeses representados na mesa, destacaram que estas pautas não são novas, mas que precisam ser cumpridas por parte dos governos. Trouxeram alguns pontos como a falta de avanços da regularização fundiária, a transposição do Rio São Francisco sem a garantia de água para as comunidades ribeirinhas e a necessidade de ouvir os movimentos para construção de uma Política Nacional de Convivência com o Semiárido.

Gilberto Carvalho, citou alguns compromissos firmados em nome da presidenta Dilma, os quais estão relacionados à mudança do modelo de produção adotado nos perímetros irrigados, o assentamento de famílias do MST em Juazeiro e Sobradinho, a retomada do projeto do Canal da Batateira, a concretização do Programa Luz para Todos para todas as comunidades até o final desta gestão do governo, reserva de área para produção de sementes nativas na região. O representante da Secretaria da Presidência concluiu propondo o monitoramento de todos esses compromissos.

A audiência segue com a “Fila do Povo”, espaço para representantes de outras organizações e movimentos sociais explanarem suas demandas e apresentarem proposições. Mais de mil pessoas vieram participar deste momento, as quais ocupam o auditório e área externa da Codevasf e aguardam os encaminhamentos finais.