Email Caatinga via RSS Caatinga no Twitter Caatinga no Facebook

caatinga-ong-hortas

7/10/2013

Debate sobre sementes é mote de Seminário do Projeto Cidadania Ambiental: Conquistando o direito a água

publicado por

Seminario

“Sementes crioulas, são sementes que criam gerações”. Foi esta frase do agricultor experimentador, Adão Jesus de Oliveira que introduziu o debate sobre sementes crioulas durante o Seminário de Avaliação do Projeto Cidadania Ambiental: conquistando o direito a água, realizado pelo Caatinga com apoio do Instituto HSBC Solidariedade, que aconteceu no último dia 04, na Agrovila Nova Esperança em Ouricuri.

Durante o evento, os/as agricultores/as destacaram a importância do estoque de sementes para preservação da biodiversidade e para enfrentamento da estiagem. “As sementes crioulas são mais resistentes, por isso é importante que as famílias agricultoras estoquem suas sementes”, ressaltou a professora, Izabel de Jesus Oliveira.

Com a proposta de avaliar as ações do Projeto, os agricultores/as presentes se dividiram em grupos e analisaram a implantação das tecnologias do bioágua e cisterna-calçadão, a assistência técnica em suas comunidades, a promoção de intercâmbios, bem como, sugeriram ações para a melhoria da implementação do Projeto Cidadania Ambiental.

Entre as solicitações, destacou-se a ampliação no número de tecnologias fornecidas com o intuito de atender mais famílias agricultoras do Araripe. Ao final do evento, que foi realizado no terreiro da casa da família de Adão e Fabiana, os participantes puderam conhecer de perto a tecnologia do bioágua e aprender a técnica da peletização de sementes.

“Este seminário foi um momento não só de divulgação e avaliação das ações do projeto, mas também um momento de troca de informação, onde foi possível discutir com as famílias a importância do projeto nas comunidades e também ouvir delas a satisfação em receber as tecnologias implantadas. É claro, que o número de tecnologias ainda é pouco, mas a ideia é buscamos parceiros para ampliarmos o número de famílias beneficiadas com essas tecnologias”, destaca a técnica responsável pelo projeto, Zuleide Izidio.

Além dos debates e trabalhos em grupo, na ocasião o técnico agrícola, Antonio Santana do município de Granito expressou no aboio e na rima a importância da implementação de tecnologias e ações de convivência com o semiárido para melhoria de vida das famílias agricultoras.