Email Caatinga via RSS Caatinga no Twitter Caatinga no Facebook

caatinga-ong-hortas

16/04/2012

Em intercâmbio, estudantes de agropecuária conhecem experiências agroecológicas

publicado por

Mais de 30 estudantes do IF-Sertão Campus Salgueiro participaram da visita a famílias agricultoras de Ouricuri (PE)

 

O agricultor Adão de Jesus explica como faz o manejo da sua propriedade Foto: Ariagildo Vieira

Para conhecer como as famílias agricultoras produzem e vivem da terra no sertão do Araripe, um grupo de 30 estudantes do curso técnico em agropecuária do Instituto Federal Sertão Pernambucano – Campus Salgueiro veio conhecer experiências agroecológicas em Ouricuri (PE). A visita aconteceu no último dia 12, no Empório Kaeteh, espaço de comercialização de produtos agroecológicos e nas comunidades da Agrovila Nova Esperança e Tamboril.

Pela manhã, após visitarem o Empório, eles conheceram a experiência do agricultor Adão Jesus de Oliveira que implantou um sistema agroflorestal, onde faz o manejo da caatinga, produz e estoca alimentos e cria pequenos animais. Viram também como funciona a tecnologia do fermentado biológico, com a agricultora e professora Isabel de Jesus Oliveira.

Para o estudante Vandelan Leite esse é um espaço de aprendizado. “Hoje aprendemos mais sobre a agricultura familiar. Na experiência de Adão, vi que mesmo com dificuldades ele busca meios de desenvolver projetos que preservem o meio ambiente e melhorem a renda familiar”, lembra.

À tarde, o Grupo seguiu para a comunidade do Tamboril. Lá conheceram a propriedade de Seu João, a criação de ovinos e plantio de milho. Visitaram também a Experiência de Dona Eva e Seu Antônio, que produzem frutas e hortaliças no pomar que fica ao lado da casa.

“Esse é um momento importante para mim como professor, porque a gente esquece um pouco do pequeno e médio produtor e tenta trabalhar com as grandes empresas. Mas essas, são realidades locais que precisam ser vistas, que precisamos trabalhar conjuntamente para promover a permanência das famílias no campo”, avalia o professor Edmilson dos Santos.