Email Caatinga via RSS Caatinga no Twitter Caatinga no Facebook

caatinga-ong-frutas

20/11/2012

Empolgação na mesa de abertura do VIII EnconASA

publicado por

 Por Verônica Pragana – Asacom

 

Faixa de boas vindas na abertura da caminhada, antes da mesa                Foto: Elka Macedo

 

Após uma caminhada de dois quilômetros e meio no centro da cidade de Januária, os participantes do VIII EnconASA prestigiaram a mesa de abertura do encontro, que se estende até a próxima sexta-feira (23).

Leninha Souza, da Coordenação Executiva da ASA, Eder Melo, da Fundação Banco do Brasil, Judite Carneiro Campos, secretária de Turismo, Cultura e Meio Ambiente de Januária, Dom José Moreira, bispo da Diocese de Januária, e Edmar Gadelha, subsecretário da Agricultura Familiar de Minas Gerais, fizeram as falas de boas vindas à cidade e ao encontro.

“Este encontro vai criar mais resistência para que o povo do Semiárido sinta-se mais apoiado e tenha mais coragem para defender seus direitos, principalmente, os da sobrevivência”, assegurou o bispo dom José Moreira.

“A ASA está enraizada na sociedade, está presente no dia a dia das pessoas via as tecnologias sociais. A ASA é um exemplo não só para Brasil, mas para o mundo”, afirmou o representante da Fundação Banco do Brasil, na sua fala empolgada para uma plenária de agricultoras, agricultores, técnicos das organizações da sociedade civil e representantes governamentais.

Fechando a mesa, Leninha Souza, fez a fala oficial da ASA, em nome da Coordenação Executiva. “Este encontro é a síntese da coletividade que mobiliza forças para mostrar ao Brasil um Semiárido diferente.” Mais a frente, continua: “O Semiárido é um território de contradições, no qual o poder hegemônico tenta dizimar milhares de iniciativas que mostram amplo leque de possibilidades de se viver com dignidade.”

Num ritmo animado, Leninha também apresentou duas questões importantes que serão debatidas e refletidas durante o EnconASA: “Através do protagonismo das famílias agricultoras, vamos decidir neste encontro para onde a ASA quer ir e qual a relação com o estado que queremos.”

Para finalizar a mesa de abertura, Leninha entoou o lema do VIII EnconASA com resposta imediata da plateia: “É no Semiárido que o povo vive. É no Semiárido que a vida pulsa.”