Email Caatinga via RSS Caatinga no Twitter Caatinga no Facebook

caatinga-ong-mudas

18/09/2012

Entrevista: Reginaldo Alves fala sobre ações do Comitê Integrado de Enfrentamento à estiagem

publicado por

Reginaldo Alves durante fala em evento no território do Araripe – Foto: Arquivo

“No campo do atendimento à população a principal iniciativa está voltada para facilitar o acesso à água”. É o que afirma o Secretário Executivo do Comitê Integrado de Enfrentamento à estiagem, Reginaldo Alves, durante entrevista ao Informativo O Caatinga. Ele fala sobre ações e projetos criados como estratégias emergenciais do Governo do Estado para amenizar os efeitos da seca, já considerada como a maior dos últimos 40 anos.

Como é composto o Comitê de Enfrentamento à Estiagem?

O Comitê é composto por 12 Secretarias de Estado, dois órgãos do Governo Estadual (IPA e COMPESA), além da representação dos Ministérios de Minas e Energia – MME, Ministério do Desenvolvimento Agrário, Exército Brasileiro, da AMUPE – Associação Municipalista de Pernambuco e FETAPE – Federação dos Trabalhadores na Agricultura.

Em meio a este cenário de estiagem, que ações concretas o Comitê de enfrentamento à estiagem tem realizado para sanar esta situação?

Para facilitar o acesso à água, ampliou-se o número de carros-pipa e definição dos roteiros juntamente com os Conselhos Municipais. Quanto à manutenção do rebanho, destaca-se o Programa Venda Balcão da CONAB, que permite a compra de milho a um custo de R$ 18,12 para os agricultores familiares. Nas bacias leiteiras do Agreste e Araripe, o Estado está disponibilizando transporte para o volumoso (bagaço de cana) adquirido pelos produtores nas usinas canavieiras. No caso do Garantia Safra o Comitê Integrado dialogou com os Prefeitos Municipais no sentido de anteciparem o pagamento das parcelas.

No Araripe Pernambucano, a maior parte da população vive na zona rural e tem como atividade econômica a agricultura e pecuária. Neste sentido, há ações específicas para esta região?

O que difere o Araripe das demais regiões são os investimentos feitos para regularizar a disponibilidade de água através da Adutora do Oeste, por meio da Compesa. Inicialmente se fez investimentos no sistema de bombeamento, com a instalação de mais uma motor-bomba.

Que entidades estão dando suporte a estas ações no âmbito territorial e estadual?

As entidades ou organizações da Sociedade Civil estão dando suporte a partir de sua participação nos Conselhos Municipais, os quais estão sendo convocados para contribuírem na definição e monitoramento das rotas de abastecimento dos carros-pipa e, bem como na identificação das famílias a serem atendidas como a doação de caixas dágua de1.000 litros, em comunidades que se encontram na rota dos carros-pipa.

De que modo as pessoas podem entrar em contato para tirar dúvidas e ou acessar benefícios?

Recentemente o Comitê publicou um Manual de Orientação que está sendo distribuído nos escritórios municipais do IPA, com informações a respeito das principais ações do Governo do Estado e Federal para enfrentamento dos efeitos da estiagem. O contato com o Comitê pode ser feito através da Secretaria Executiva pelo e-mail operacaoseca@sara.pe.gov.br ou pelo 0800 281 2090 e ainda pelo site: www.agricultura.pe.gov.br/operacaoseca.

Estamos num ano de eleições municipais e num período de campanha. Esta realidade tem interferido nas ações propostas pelo Comitê?

Os programas como Garantia Safra e Bolsa Estiagem são coordenados pelo Governo Federal, portanto sem nenhuma relação com o processo eleitoral municipal. As ações de infraestrutura como perfuração de poços, adutoras, dessalinizadores e outras, estão sendo executadas diretamente pelo Estado. A única ação que avaliamos ser prudente estender a todo estado somente após o período eleitoral é a doação de filtros de barro, por ser uma ação voltada para atender a todas as famílias rurais e, portanto, de difícil controle na sua operacionalização.