Email Caatinga via RSS Caatinga no Twitter Caatinga no Facebook

caatinga-ong-hortas

19/02/2013

Famílias realizam mutirões para cercar áreas de reposição de mata ciliar em Parnamirim

publicado por

Para transplantar as mudas, é hora de cercar a área para permitir um melhor crescimento das plantas. Para realizar essa atividade que faz parte das ações do Projeto Riachos do Velho Chico realizado pelas Ong’s Caatinga e Centro Sabiá com patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Ambiental, as famílias do município de Parnamirim-PE envolvidas nesta iniciativa estão realizando mutirões.

Com a ação conjunta já foram cercados cinco quilômetros de área de mata ciliar conservada e recuperada ao longo das margens do Riacho Queimada. A meta é chegar a oito quilômetros  até o fim de março. O trabalho está sendo desenvolvido nas comunidades rurais Riacho Queimada I e II, Arara, Rolo do Pau, Alvaçã e Dourado.

A construção das cercas é uma das últimas etapas do Projeto que completa dois anos de execução, com o objetivo de revitalizar os Riachos Frazão em Triunfo e Queimada em Parnamirim no semiárido pernambucano, através do desenvolvimento de ações comunitárias de recuperação e conservação de recursos hídricos. Estes riachos integram bacias hidrográficas importantes que são o Rio Pajeú e o Rio Brígida que abastecem o Rio São Francisco, ou Velho Chico, como também é popularmente chamado.

O Projeto Riachos do Velho Chico conta ainda, com o apoio da Prefeitura Municipal de Parnamirim que tem disponibilizado veículos para transporte das mudas dos viveiros para as áreas que serão recuperadas, bem como a doação de 30 mil sacos de polietileno para plantio de mudas, e disponibilização de carros pipa para abastecimento de reservatórios nas comunidades a fim de que possa ser ofertada água para manutenção dessas plantas.

“Esse é um Projeto piloto que tem um grande desafio de criar referenciais para recuperação de corpos hídricos. O grande desafio da humanidade não é o avanço tecnológico e sim a captação e armazenamento de água para abastecimento da população”, alerta o técnico responsável pelo Projeto no Araripe, Ariagildo Vieira.