Email Caatinga via RSS Caatinga no Twitter Caatinga no Facebook

caatinga-ong-frutas

6/03/2012

Índices pluviométricos revelam disparidade de chuvas entre municípios do Araripe

publicado por

Unidade de medição da comunidade Tamboril, Ouricuri (PE) - Foto: Elka Macedo

Caracterizada pelo baixo índice de chuvas e alta taxa de evapotranspiração, a região semiárida brasileira ainda sofre com a oferta insuficiente e má distribuição de água, bem como a ausência de políticas públicas que dêem condições das famílias de conviverem com a semiaridez. Aliado a isso, o mundo passa por um processo de mudanças climáticas, fator que tem gerado transformações significativas, sobretudo nas zonas rurais.

Pensando nestas problemáticas foram instaladas unidades de medição dos índices pluviométricos e de temperatura em comunidades dos municípios de Trindade, Parnamirim, Santa Cruz, Ouricuri, Bodocó, Santa Filomena e Granito através do Projeto Cidadania Ambiental: Superando os efeitos das mudanças climáticas realizado pelo Caatinga com financiamento do Instituto HSBC Solidariedade.

O Objetivo foi desenvolver um sistema de monitoramento do clima a fim de ampliar a capacidade das populações rurais pobres da região do Araripe Pernambucano, de reagir e adaptar-se às mudanças climáticas, dando acesso ainda, a novos modelos de produção sustentáveis e um maior empoderamento para a efetiva participação destes atores no desenho e implementação de políticas públicas.

Nesta conjuntura, observou-se que de janeiro a dezembro de 2011, o índice médio de chuvas nas 23 comunidades monitoradas foi de apenas 496,5 milímetros, praticamente metade do índice característico da região semiárida (800mm/ano). As disparidades pluviométricas da região do Araripe puderam ser ratificadas quando comparamos as comunidades de Mameluco, em Trindade, e do Pote, em Santa Cruz, que respectivamente, apresentaram os índices de 897mm e 366mm.

Para o técnico do Caatinga, Antonio Marcolino, essa é uma ação contínua que vai embasar as famílias na hora de propor ações para melhorar a sua qualidade de vida. “Através do monitoramento das chuvas, as famílias puderam observar a má distribuição das chuvas ao longo do ano na região, fator que prejudicou a produção agropecuária, e gerou a necessidade da estocagem de alimentos e água. Além disso, serviu como prova para o acesso das famílias ao seguro safra foi o caso de Parnamirim-PE”, revelou.

Abaixo tabela detalhada dos índices nas comunidades:


DoDesign-s Design & Marketing
ActionAidBrasil Sem MiseriaProRuralGoverno de Pernambuco
HSBC SolidariedadeUnião EuropéiaGEFFIDADom Helder Camara
PetrobrasMDS e MDABrasil - Governo Federal
P1+2CaixaFNMAMMABrasil - Governo Federal
ASAANAGente da TerraRESAB
Centro SabiáDiaconiaAbong