Email Caatinga via RSS Caatinga no Twitter Caatinga no Facebook

caatinga-ong-cisternas

21/08/2017

Mulheres do Sitio Palácio em Granito/PE, mostram resistência e resiliência

publicado por

Por Adevania Coelho/ Kátia Rejane

As mulheres do sítio Palácio, município de Grantio/PE, no 7º ano consecutivo de seca na região, mostram diversidade e qualidade em produtos da agricultura familiar: Com produção de hortaliças, derivados do leite (margarina caseira, cocada, doce de leite, leite condensado, bolos, manteiga, queijo) e artesanatos.

Foto: Adevania Coelho

Todos esses produtos são comercializados na comunidade, e nos últimos anos durante a expogranito, feira de exposição de animais, que historicamente se tornou conhecido como um lugar destinado, apenas aos homens, vem se tornando, espaço ocupado também por mulheres, representando o trabalho de várias famílias agricultoras.

Foto: Adevania Coelho

“Nós tivemos a oportunidade de divulgar os nossos produtos, essa foi a segunda vez que participamos da expogranito, mas a gente quer expor em outras feiras, levar nossos produtos para outras cidades” Diz Maria Edileusa Bento, presidenta da associação

As mulheres se organizam, através da associação comunitária e do grupo de mulheres formado na comunidade.

 

Foto: Adevania Coelho

As mulheres do grupo recebem assessoria técnica da Ong Caatinga, através da chamada de ATER (Assistência técnica em extensão rural), do projeto sertão leiteiro, foi através dessa assessoria que as mesmas participaram de oficinas e inovaram a produção, com margarina caseira, iogurte, requeijão, creme de leite, leite condensado, achocolatado, sequilhos, bolos entre outros.

“Esses produtos, nós só conseguimos aprender a fazer por que a técnica trabalhou novos sabores do leite, que nós ainda não tínhamos despertado para fazer e aprendemos. Outra coisa que nós ajuda bastante a produzir são as cisternas, pois agora a gente consegue plantar verduras, frutas, plantas medicinais e ornamentais, a gente tem muitas coisas para fazer em casa e ter água perto nos ajuda muito” Afirma Edileusa.

Para a técnica da comunidade Adevânia Coelho, é surpreendente como as mulheres da comunidade tem um grande potencial, se tornando cada vez mais autônomas. “Acho muito interessante a iniciativa e a resistência das mulheres do sitio Palácio. ” Conta Adevania, ao falar da forma de organização e produção das mulheres. Vale lembrar que o grupo de mulheres trabalha, em parceria com a associação comunitária, fortalecendo a luta das famílias agricultoras, o que mostra que quando as mulheres avançam, nenhum homem retrocede.