Email Caatinga via RSS Caatinga no Twitter Caatinga no Facebook

caatinga-ong-frutas

28/11/2012

Pernambuco mais produtivo: Famílias agricultoras recebem as primeiras cisternas calçadão

publicado por

Por Adriana Leal – comunicadora da Diocese de Pesqueira

 

Foto: Bruno Campos/Acervo Diaconia

Em meio a uma grande estiagem dos últimos anos, famílias agricultoras começam a receber as primeiras cisternas calçadão em Pernambuco. Uma tecnologia social para armazenar água e produzir alimentos. A iniciativa é uma parceria da Articulação no Semiárido pernambucano (ASA/PE) com o Governo do Estado, através do programa Pernambuco Mais Produtivo.

As primeiras cisternas no Estado serão entregues, nesta quarta-feira (27/11), na comunidade de Cajueiro II, zona rural de Sanharó, no Agreste Central. Só no município serão beneficiadas 150 famílias com as cisternas calçadão. O ato da entrega acontece às 14h, na própria localidade, com as presenças da coordenadora executiva da ASA/PE, Neilda Pereira, o governador Eduardo Campos e representantes de organizações da sociedade civil e lideranças rurais.

A agricultora familiar Sandra Matias da Silva, 34 anos, da comunidade de Cajueiro II, comemora a chegada da cisterna. “Estamos com uma grande dificuldade de manter o plantio de hortaliças e a criação de animais devido à falta de água. Com a cisterna calçadão, além de produzir alimentos para consumo da minha família, vou ter condições de criar meus animais. Estou muito feliz”, destaca Sandra.

O programa Pernambuco Mais Produtivo vai beneficiar quase 85 mil agricultores. O investimento é da ordem de R$ 140 milhões do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) e R$ 25 milhões de contrapartida do Governo do Estado. A cisterna capta a água de chuva por meio de um calçadão de cimento de 200 metros quadrados construídos sobre o solo. Cerca de 300 milímetros de chuva são suficientes para encher o reservatório, que tem capacidade para armazenar 52 mil litros d´água.

Para a coordenadora executiva da ASA/PE, Neilda Pereira, ressalta que a construção das cisternas tem uma grande importância na vida das famílias agricultoras, principalmente neste momento de seca. Precisa-se propagar a cultura do estoque da água e de alimento, a estiagem é sazonal e previsível. “Esse momento é de reforçar a importância da ampliação e consolidação dessas ações. Nesse período de estiagem, muitas famílias que já foram beneficiadas com as cisternas e outras tecnologias têm passado com menos dificuldades em relação à água. Esse programa tem possibilitado a ampliação dessas politicas. Esperamos avançar junto ao Governo do Estado na construção de uma politica de convivência com o semiárido pernambucano”, enfatiza.

A ASA/PE tem dialogado com o Governo do Estado para reforçar e ampliar ações estruturadoras de convivência com o Semiárido pernambucano. “A proposta é melhorar a estrutura hídrica da área rural do Estado, ampliando a capacidade produtiva das famílias atendidas”, ressalta Aldo Santos, secretário executivo da agricultura familiar.

Além de representantes das organizações da sociedade civil, participam também do evento o secretário de Agricultura, Ranilson Ramos, o secretário executivo da Agricultura Familiar, Aldo Santos, o prefeito de Sanharó, Cezar Augusto, e o bispo da Diocese de Pesqueira, Dom José Luiz.