Email Caatinga via RSS Caatinga no Twitter Caatinga no Facebook

caatinga-ong-frutas

18/10/2012

Semana do Dia Mundial da Alimentação pode ser comemorada com produção de alimentos saudáveis no Semiárido pernambucano

publicado por

por Mariana Landim – Assessora de Comunicação da ASA-PE

 

Grupo de jovens do Sitio Baixa em Trindade – PE

Na terça-feira, dia 16 de outubro, foi celebrado o Dia Mundial da Alimentação. A data é uma referência à criação da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) em 1945. Com o objetivo de alertar e conscientizar o conjunto da humanidade sobre a difícil realidade de cerca de 800 milhões de pessoas que vivem em situação de insegurança alimentar, há 31 anos, a data é celebrada em mais de 180 países no mundo inteiro.


Em Pernambuco, as organizações que integram a Articulação no Semiárido (ASA-PE) têm uma ação concreta no campo do acesso à água para consumo humano e produção de alimentos, e dessa forma, contribuem para assegurar o direito humano à alimentação, e também realizam um trabalho de assessoria técnica às propriedades rurais, atividade que combina conhecimento com práticas coletivas, e com isso gera bons resultados.

Apesar do atual momento de estiagem prolongada vivenciado pela população da região semiárida do país, diversas famílias agricultoras têm motivos para comemorar o Dia Mundial da Alimentação. No Semiárido pernambucano, por exemplo, agricultores e agricultoras familiares desenvolvem experiências de convivência, a partir de tecnologias de captação e armazenamento de água da chuva, que garantem mesa farta e saudável o ano todo. Através do estoque de água e alimentos, as famílias conseguem superar os efeitos da seca com mais tranqüilidade, e tornam-se referência em suas comunidades.

A família de Vilmar e Silvanete é um exemplo disso. Eles desenvolvem um sistema de cultivo agroflorestal na Serra dos Paus Dóias, município de Exu, região do Araripe. A experiência consiste em fazer um manejo que mistura plantas anuais, forrageiras, frutíferas, adubadoras e nativas na propriedade. Nesse tipo de cultivo, não se utiliza fogo, venenos ou adubos químicos. Na propriedade do casal é encontrada uma diversidade de frutas e hortaliças, tecnologias hídricas, além de um banco de sementes e um viveiro de mudas. Esse conjunto de iniciativas contribui para manter o equilíbrio da propriedade e garantir o sustento da família mesmo em épocas de seca.

A uma distância de 170 quilômetros da comunidade em que mora o casal inovador, está situado o Sítio do Vidéu Velho, na cidade de Ouricuri. Lá, mora a família de Maria Viana, que desenvolve uma experiência de gestão de recursos hídricos e quintais produtivos. Essas estratégias garantem água, segurança alimentar e geração de renda para a família durante os 12 meses do ano, já que a agricultora comercializa o excedente da produção de frutas, verduras e plantas medicinais na própria comunidade.
Dia Mundial da Alimentação


O tema do Dia Mundial da Alimentação deste ano proposto pela FAO é Cooperativas Agrícolas Alimentam o Mundo, que pretende fomentar a reflexão sobre o papel que as mesmas desempenham na erradicação da fome, através do abastecimento de alimentos para as populações mundiais.

 

Calendário de comemorações

No Dia Mundial da Alimentação, na cidade do Recife, o Centro Sabiá, o Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea/PE) e a Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos Pela Vida realizaram um Cine Fórum e um Dois Dedos de Prosa. As atividades foram abertas ao público, e na parte da tarde, foi exibido o documentário O Mundo Segundo a Monsanto, da jornalista francesa Marie-Monique Robin. Logo mais à noite, quem compareceu ao Centro Cultural Correios pôde participar de um debate sobre o tema Cooperativas Agrícolas Alimentam o Mundo.

Nos dias 18 e 19 de outubro, o Centro sabiá em parceria com a Comissão de Sementes do Coletivo Paraibano e Patac, ainda promove três oficinas sobre construção de Bancos de Sementes Comunitários. As atividades contarão com a participação de agricultores e agricultoras, e serão realizadas simultaneamente nos municípios de Riacho das Almas, Frei Miguelino e Bezerros, Agreste Central.

No Sertão do Pajeú, entre os dias 19 e 21 deste mês, jovens apresentarão seus artesanatos da biodiversidade durante o Festival da Rapadura. A Casa da Mulher do Nordeste estará com um estande em parceria com Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), onde serão expostos produtos artesanais dos grupos de mulheres do Pajeú. Já nos dias 25 e 26, haverá uma Oficina do Fundo Rotativo Solidário, como estratégia para garantir segurança alimentar e nutricional, atividade que será realizada pelo Centro Sabiá.

Ainda na região do Pajeú, no próximo dia 22 de outubro, no município de São José do Egito, a Casa da Mulher do Nordeste, a Diaconia e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais local realizarão um seminário, que contará com a participação de 100 agricultores/as. A atividade terá como tema central a convivência com o Semiárido à luz das questões que envolvem a segurança alimentar e o suporte forrageiro para os animais nesse período de seca. No dia 28, uma panfletagem na feira livre de São José do Egito, encerra as comemorações em prol do Dia Mundial da Alimentação.